TST propõe nova cultura para resolução de conflitos trabalhistas

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), ministro Carlos Alberto Reis de Paula, afirmou na última sexta-feira (28/6) que a justiça brasileira vive um momento de definição, e que a realização da I Conferência Nacional de Conciliação e Mediação vem, a todo propósito, no sentido de se criar uma nova cultura na solução de conflitos. O ministro afirmou não haver ”nada melhor do que conciliação e negociação, nada melhor que entender que aqueles que são protagonistas encontrem a solução, encontrem o seu caminho”.

As declarações foram feitas durante a abertura da Conferência, realizada na sede do TST, em Brasília, com o objetivo de promover discussões e apresentar experiências exitosas na área. Entre os temas a serem discutidos no evento, estavam as novas práticas consensuais diante do divórcio e o treinamento de conciliadores para a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016.

O presidente do Supremo Tribunal Federal e do CNJ, ministro Joaquim Barbosa, abriu a conferência, informando que o encontro visa discutir meios alternativos à forma tradicional de resolução de conflitos, que podem fazer com que as partes encontrem por si, ou com auxílio do poder judiciário, soluções consensuais mais duradoras e eficazes.

Segundo o relatório Justiça em Números, elaborado pelo CNJ, existem hoje cerca de 90 milhões de ações em tramitação no judiciário brasileiro. A cada ano, cerca de 20 milhões de novos processos são abertos. Para especialistas, o fortalecimento da cultura da conciliação é uma das saídas para a redução de processos. Estima-se que cerca de 65% das ações judiciais civis no país discutem valores que não chegam a R$ 1 mil, mas cada processo custa, em média, R$ 1,3 mil aos cofres públicos.

O evento foi organizado pelo CNJ, em parceria com a Secretaria de Reforma do Judiciário, do Ministério da Justiça. O juiz George Almeida (foto), titular da 2ª Vara do Trabalho de Simões Filho e membro do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos do TRT da Bahia, participou do encontro representando o TRT da Bahia.

A conferência está disponível no canal do TST no YouTube.

 

Fonte: JusBrasil

Tagged with:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *